A boemia carioca em BH

Redentor Bar completa 15 anos com novidades

Tradicional bar de Belo Horizonte, famoso pela excelência em servir chope e pelo atendimento especial, apresenta novidades. Empreendedores à frente do Redentor têm 36 anos de história na gastronomia, com casas que marcaram gerações.

“É melhor ser alegre que ser triste. Alegria é a melhor coisa que existe. É assim como a luz no coração...” Estar em um bar, reunido com os amigos e pessoas especiais, remete muito aos versos iniciais de “Samba da Bênção”, imortalizados na voz do carioca mais boêmio que já existiu: o poeta, músico e compositor Vinícius de Moraes.

E essa atmosfera boêmia da cidade maravilhosa, tão popularizada por ícones da Bossa Nova brasileira, como Tom Jobim, Miúcha, Carlos Lyra, Ronaldo Bôscoli, João Gilberto, além, é claro, do próprio ‘Poetinha’, unida ao prazer dos mineiros por uma mesa de bar e pela proza descompromissada, é a essência do Redentor, que este ano completa 15 anos repleto de novidades, mas sem abrir mão da tradição.

Situada em uma charmosa esquina da Savassi [a Ipanema de BH], nas ruas Fernandes Tourinho com Sergipe; e no shopping Cidade, na região central da capital, a casa oferece tudo que os mineiros gostam: chope tradicional, ambiente despojado, rodas de música ao vivo com jazz, bossa nova bem à la Jobim, chorinho e samba, além de saborosos petiscos e atendimento cordial. “O bar brinda a boemia e, por trazer um pedacinho generoso do calor carioca, está sempre de portas abertas para quem gosta de uma boa conversa depois do trabalho e aos finais de semana, afinal, como já dizia o próprio Vinícius de Moraes, a vida é a arte do encontro. E nada melhor que celebrá-lo numa mesa de bar”, destaca um dos sócios, Daniel Ribeiro.

Marca registrada

O foco do Redentor sempre foi na qualidade da tiragem de chope, que envolve uma expertise desde o recebimento, o gás e equipamentos utilizados. “O nosso chopeiro já foi várias vezes disputar prêmios como melhor chopeiro do Brasil. Já ganhamos diversos prêmios na Ambev, e revistas como Veja e Encontro. Porém, o maior prêmio mesmo, após esses 15 anos, é escutar do belo-horizontino que gosta de chope que o Redentor é o melhor chope tradicional de BH”, diz Daniel. Ele acrescenta também que, atualmente, com a ascendência da cerveja artesanal, o Redentor oferece dois chopes da Walls e, em breve, terá mais duas opções da Colorado.

A ideia de fazer uma mistura do Rio com BH veio na vontade de trazer o astral carioca para a cidade, aquele lugar onde se bebe em pé, de bermuda ou de terno. O tema do Redentor é: O espírito carioca com o abraço mineiro. Desde sempre a ideia sempre foi um bar descontraído, casual, alegre. Um bar familiar e de amigos que preza pela excelência na gastronomia de boteco, no chope e no atendimento: aquele bar aonde o garçom chama o cliente fiel pelo nome.

Boa mesa

Outra tradição se mantém desde a abertura das duas casas. E é o badalar do sino que avisa: a fornada das tradicionais empadinhas da casa. Com serviço volante, elas são oferecidas aos clientes diretamente nas mesas. Feitas na hora, as empadinhas à Bracarense são recheadas com camarão e catupiry ou frango e catupiry (R$7,20).

Outros pratos carros-chefes são Jabá Porta Bandeira, que é uma carne seca desfiada, misturada com cebola e farinha baiana, regada na manteiga de garrafa. Ele sai a R$46,50 e serve até 3 pessoas. E o escalope de filé mignon ao molho 4 queijos gratinado, que por R$56,80 serve até 3 pessoas.

O almoço self-service também é um diferencial das casas Redentor, que oferece pratos com sabor caseiro, mas com muito refino. Diariamente, são mais de 30 opções de saladas, dois peixes e todo tipo de carne e guarnições, além de comida japonesa. Às sextas e aos sábados a casa serve ainda feijoada. Durante a semana o quilo sai por R$53,90 e aos finais de semana por R$63,90.

Novidades

Para aprimorar ainda mais os serviços do bar e celebrar a chegada dos 15 anos, os sócios contrataram, recentemente, a consultoria do chef Raoni Ribeiro, fundador da Mercearia 130, chefe consultor do Djalma e do Ateliê da Walls, e já prestou consultoria em casas como Bar do Lopes, Paladino, Dorsé e muitas outras. Agora, ele começa um trabalho nas casas do Redentor que vai ser um grande desafio. “Atualizar uma cozinha que já está em movimento, com uma cultura de 15 anos e a todo o vapor, já que a casa está sempre cheia, vai ser bem mais difícil que começar uma do zero. O trabalho vai ser inicialmente melhorar os processos internos, capacitar mais a equipe com o que tem de novo no mercado, aperfeiçoar os pratos e trazer novas propostas”, diz Raoni. “Vamos buscar atualizar a cozinha sem perder a identidade do bar que já tem uma clientela muito fiel”, completa o chef de cozinha da casa, Adenilson Batista, que está à frente deste projeto ao lado de Raoni.

Outra novidade é a contratação do mixologista Tiago Santos, que está reformulando a carta de drinks. Ele é uma das principais autoridades no cenário da coquetelaria mineira e nacional. Com mais de 15 anos de experiência no mercado, já esteve à frente dos principais balcões de coquetéis da capital mineira. O bar na Savassi também acaba de ganhar novo visual e está totalmente repaginado. De acordo com a arquiteta Simone Dias, a ideia foi fazer muitas mudanças, mas sem perder a essência de bar casual e carioca. Foram feitas alterações funcionais que visam o conforto do cliente e a sustentabilidade da casa, como projeto acústico, troca de ar condicionado e iluminação aconchegante. Também foi contratada uma empresa de cenografia para criar nova fachada. As cores e os quadros de artistas da bossa, imagens antigas do Rio de Janeiro também foram trocados, junto com o balcão que ficou com mais jeito de bar e mais funcional para a equipe.

De acordo com Daniel Ribeiro, outra novidade é a instalação de placas solares, em setembro, para as casas Centro e Savassi. “Assim, nossa empresa passa também a ser sustentável, gerando energia limpa e renovável”, diz.

Tradição em Família

A história do grupo responsável pelo Redentor começou em 1982. Os fundadores, irmãos Fausto Dias e Antônio Câmara, abriram, há 36 anos, o Pop Pastel no BH Shopping, que, no primeiro dia, já foi um sucesso com direito a fila de clientes.

Ao longo desses anos os sócios já tiveram 13 operações, com sete marcas, incluindo Pop Pastel, kid Batata, Pop Kid, Kid Buffet, Barbotage, Urca e Redentor. Hoje, o grupo, que conta também com o sócio Daniel Ribeiro, na empresa desde 2007, filho de Fausto Dias, tem 3 empreendimentos: Pop Kid, Redentor do Shopping Cidade e Redentor Savassi. São ao todo, por mês, uma média de mais de 40 mil clientes atendidos, em torno de 40 mil kgs de Self-service e 15 mil litros de chopp vendidos. Tudo isso, nas mãos de 120 colaboradores.